sábado, 20 de fevereiro de 2010

O VERDADEIRO HISTÓRICO DE NOSSO MUNICÍPIO

A origem do município de São Caetano de Odivelas, data do tempo da colonização do Brasil, quando os Jesuítas vinham de Portugal para difundir a religião cristã através da evangelização. Seu fundador, Frei Felipe, missionário português da Companhia de Jesus, chegou à região em 1735, se agradou da terra e fundou uma fazenda a margem esquerda do rio Mojuim a 11 Km de sua foz, para dar inicio a uma criação de gado, no dia 7 de Agosto de 1735, onde hoje se localiza a sede do Município.
Colocou na fazenda o nome de São Caetano de Odivelas, São Caetano por ser o santo do dia, e o nome de Odivelas em homenagem a sua terra natal, uma pequena província de Portugal. No ano de 1757, Francisco Xavier de Mendonça Furtado concedeu-lhe o titulo de lugar.Em 1760, com o advento da Lei Pombalina o desembargador Feliciano Ramos Nobre Moura, juiz de Fora de Belém por ordem do Governador, em diligência partindo de Vigia chegou a Odivelas seqüestrou a Fazenda São Caetano e a de Tabatinga, que foram entregues a administração de prepostos do Governo Colonial.

Em 1813, Manoel de Sousa Álvares, informou ao Governador do Estado do Grão Pará, a presença de um grupo de mocambos negos nas cabeceiras dos rios Mojuim e Mocajuba, que estavam saqueando os sítios na região, sendo determinada pelo Governador à realização de uma batida na região para exterminar o grupo. Em 1833, Odivelas ficou como integrante do município de Vigia de Nazaré, como Freguesia sob a proteção de São Caetano, em virtude da divisão da província em termos e comarcas até 1872. A Lei Provincial nº 707 de 5 de novembro de 1872, outorgou-lhe o titulo de Vila, porém não houve o cumprimento da referida lei. Somente em 28 de agosto de 1874, foi instalado o Município pelo presidente da Câmara de Vigia o senhor Antônio José do Carmo Barriga, dando posse ao senhor Inácio Maciel Ferreira como vereador da nova Comarca, sendo este o primeiro prefeito da vila. Porém, o presidente da Câmara de Vigia depois de tê-lo empossado retirou-se sem entregar o livro da qualificação e desmanchou a casa em que lhe havia dado posse. Somente em 15 de janeiro de 1875, os vereadores se reuniram para a primeira sessão da nova Câmara.

O município de São Caetano de Odivelas, não foi indiferente aos fatos importantes da história do Brasil, em 1835, por ocasião da Cabanagem quando os insurretos tentaram invadir o Território do Município, foram obrigados a bater em retirada pelos nativos do lugar. O Movimento Abolicionista teve total apoio no Município, já que não havia mais escravos entre os nativos, pois haviam sido alforriados.


Os Ideais Republicanos também estiveram representados no Município, através dos Odivelenses Francisco de Queiros, Manoel Bruno de Barros, João da Mata Campos, Eurico Eduardo de Sousa, Ricardo de Oliveira, Capitão Diniz Joaquim Maciel e João Brás de Sousa que por serem a favor da Republica despertaram a ira dos governistas, a ponto de serem ameaçados de exílio pelo então presidente da Câmara Municipal, Tenente Domingos dos Reis Alves. Porém os idealistas na noite de 15 de agosto de 1889, se reuniram na casa de Diniz Joaquim Maciel e fundaram o Clube Republicano Odivelense, aclamando como seu presidente o senhor João Brás de Sousa e em seguida desfilaram pelas ruas do Município dando vivas a republica. A 15 de novembro os republicanos Odivelenses viram seus ideais tornarem-se realidades. No dia 23 de novembro de 1889, a republica foi instalada no Município. O governo provisório do Estado enviou um comissário a São Caetano de Odivelas representado por Gonçalo de Lima Ferreira.

Em 6 de julho de 1895, a Lei nº 324 que dividiu o Pará civilmente em cidades, vilas e povoações elevou São Caetano de Odivelas a categoria de cidade, ocorrendo sua instalação em 15 de agosto de 1896. O primeiro Conselho Municipal eleito teve como Intendente Municipal João Rodrigues dos Santos e os vogais Manoel Lins de Ataíde, Cecílio Ricardo Pinheiro de Oliveira, Leonírio Antônio de Sousa e André Cursino de Melo.

Em conseqüência da Revolução Nacional Triunfante de 24 de outubro de 1930, São Caetano foi anexado aos municípios de Vigia e Curuça pelo Decreto Interventorial nº 78 de 27 de dezembro de 1930. Porém o Decreto nº 931 de 22 de março de 1933 restabeleceu a São Caetano de Odivelas a condição de Subprefeitura.

Em 31 de outubro de 1935, a Lei Estadual nº 8 eleva São Caetano a categoria de cidade, sendo nomeado como Prefeito Municipal o tenente do exercito José Alves de Sousa Azevedo. Processada a eleição para Prefeito Constitucional do Município e Câmara de Vereadores sendo eleito para prefeito o capitão Inácio de Oliveira Santos e para vereadores Manoel Cândido do Rosário Monteiro, Manoel Firmino Rodrigues, Egidia Rodrigues da Cunha, Macário Antônio Favacho, Ramiro Otávio das Chagas, Antônio Baltazar Monteiro e coronel Cipriano Antônio das Chagas.

Desde a sua criação o Município procura gerir o seu patrimônio, constituído por bens corpóreos e incorpóreos, procurando dar-lhe a destinação que mais satisfaça as necessidades da população.

A importância do meio físico para o município de São Caetano de Odivelas pode ser em face da fertilidade do seu solo, pois muitos foram os que chegaram e se radicaram no Município, como judeus, portugueses, austríacos, turcos, italianos, africanos, libaneses, cearenses, alagoanos, baianos, paranaenses e pernambucanos que se tornaram comerciantes, políticos e industriais. Estes colonizadores juntamente com os nativos lutaram pelo crescimento e bem estar do Município.

Os nativos são chamados odivelenses e formam um povo alegre e hospitaleiro.


*Fonte: Livro "Nossa Terra Nossa Gente" de Raimundo de Sousa Rodrigues "Castilho"

3 comentários:

  1. Muito bom, a história de São Caetano precisa ser apreciada ainda mais,principalmente nas escolas e divulgadas em livros, precisamos ler e aprender com a nossa história...

    Anderson Santos (art plásticas)

    ResponderExcluir
  2. sou natural de São Caetano de Odivelas, mais precisamente de São João dos Ramos, e gostei muito da postagem´parabéns pelo bom gosto.

    ResponderExcluir
  3. Parabéns pela bela história povo odivelenses

    ResponderExcluir